Autor

Erivaldo De Carli

Título para publicação

FRAMEWORKS E REÚSO DE SOFTWARE: IMPLEMENTAÇÃO DE UM SISTEMA DE EFETIVIDADE - RH UTILIZANDO O FRAMEWORK CASCA

Nota de acesso eletrônico

Baixe o Texto completo

Reúso de software é uma das formas pela qual a engenharia de software tem buscado ganhos em produtividade e qualidade, bem como a redução de tempo em desenvolvimento e evolução de produtos. No entanto, o reúso granular e oportunista não se mostra como uma boa técnica para se atingir efetivamente o reúso. A programação orientada a objetos e as novas gerações de linguagens para desenvolvimento de sistemas propiciam um alto grau de modularização e grande flexibilidade, destacando-se conceitos como componentes e reúso de software. Várias técnicas podem ser utilizadas para que o reúso seja efetivamente alcançado. Assim como a orientação a objetos, os padrões de projeto, os componentes e os frameworks são boas técnicas de se atingir o reúso. Isoladamente talvez elas não sejam tão efetivas, mas a conjunção de algumas delas traz bons resultados no desenvolvimento de sistemas de software. Frameworks orientados a objetos promovem reúso de projeto e código
em um nível de granularidade elevado. São eles, macro-componentes desenvolvidos como sistemas de objetos, tais como classes, que cooperam modelando uma funcionalidade ou uma característica relevante de um domínio. Os componentes reutilizáveis são agrupados em frameworks para implementar a funcionalidade modelada pelo próprio framework e permitem adaptar e adequar as aplicações de acordo com as necessidades do cliente. A idéia é permitir que o desenvolvedor se detenha nos aspectos funcionais do domínio da aplicação, cabendo ao framework a tarefa de fornecer a infra-estrutura técnica necessária para o mesmo, tornando o processo de desenvolvimento mais fácil e rápido ao desenvolvedor da aplicação. A ampla adoção destas abordagens é dificultada pela
complexidade para desenvolver e usar um framework. O foco principal do trabalho foi o conceito de frameworks, devido à maior produtividade que estes proporcionam na fase de implementação do processo de desenvolvimento de software, justamente pela idéia de reutilização. O ápice do trabalho foi a comprovação deste ganho de produtividade pelo estudo de um framework específico, o CASCA, bem como a sua utilização para desenvolver uma aplicação de gerência de efetividade, comprovando assim, que um framework é uma aplicação não acabada composta por estruturas e funcionalidades agrupadas que colaboram entre si para fornecer funcionalidades à aplicação final.